quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

[OPINIÃO] - Canção de Embalar de Auschwitz

Título: Canção de Embalar de Auschwitz
Autor: Mario Escobar
Editora: Harper Collins
Edição: Janeiro de 2016
ISBN: 9788416502691
Páginas: 240
A minha classificação: 5/5★

SINOPSE:
Sobre a lama negra de Auschwitz que tudo devora, Helene Hanneman levantou uma creche no Campo Cigano. Nesse lugar, onde a felicidade é proibida, a jovem mãe ajuda a sobreviver a pouco mais de uma centena de crianças e, a pesar do horror do campo de extermínio, Helene não desiste, nunca perde a vontade de viver nem de ajudar e ensina-nos uma lição maravilhosa sobre a coragem. Um romance emocionante baseado em factos reais, que resgata do esquecimento uma das mais comoventes histórias de heroísmo de uma mãe alemã no meio do terror nazista. Inspirado numa história real, Canção de embalar de Auschwitz é uma homenagem à bondade, à coragem e à generosidade das pessoas comuns. 
Um relato comovente em que se entrelaçam a vida de prisioneiros ciganos, judeus e alemães, que lutam por sobreviver no inferno do maior campo de extermínio da História.

OPINIÃO:
Tinha vontade de ler este livro desde o momento em que comecei a interessar-me pelo tema. É verdade que todos os livros sobre o Holocausto que li até agora me tocaram, de certa forma, mas este tornou-se num dos meus preferidos. A força de Helene é enorme e a forma como conseguiu levar um pouco de alegria até aquele inferno é incrível. Este é um livro de ficção inspirado em pessoas e em factos reais.

Helene Hanneman era uma mulher alemã, que tinha uma vida feliz com o seu marido cigano e os cinco filhos. Tudo mudou quando os alemães bateram à sua porta para levarem a sua família. Por ser ariana, Helene não tinha de os acompanhar, mas ela recusou desde o primeiro momento deixar os seus filhos e o marido. Foram transportados nos vagões de gado e levados para Auschwitz II - Birkenau, onde o casal foi separado e Helene passou momentos bastante difíceis com os seus filhos.
É então que o doutor Mengele entra na vida desta mulher e sugere que ela abra uma creche dentro do campo. É assim que Helene consegue melhorar as condições de vida dela e dos seus filhos e trazer algum conforto às crianças do campo, dando-lhes comida, melhores condições e alguns "luxos", como lápis de cor, filmes e livros. Por momentos, estas crianças podiam sentir-se amadas, confortáveis e esquecer-se daquilo que se passava fora da creche. Mas claro que a criação da creche não foi em vão e Mengele tinha planos para muitas das crianças que frequentavam aquele espaço...

Este livro conseguiu arrepiar-me e levar-me às lágrimas. Este já é um tema bastante forte mas, para mim, torna-se ainda mais pesado por ter como foco principal as crianças. Foi também o primeiro livro que li que focou mais as experiências de Mengele, aquele que foi considerado "o anjo da morte", e esse foi o aspecto que mais me chocou. Como é que é possível alguém ser tão pouco humano, como é que é possível ter existido um monstro destes?



Normalmente, quando penso em campos de concentração, penso sempre nos judeus. Gostei bastante deste livro porque nos dá uma outra perspectiva. Lembra-nos de que os ciganos também foram perseguidos, também foram vítimas deste horror e muitos deles morreram às mãos dos SS. Aliás, estima-se que apenas 3000 dos 22 000 ciganos que chegaram a Birkenau tenham sobrevivido. Para além disso, este foi um livro que li de um fôlego. A escrita de Escobar é muito simples, mas carregada de sentimento.

No entanto, aquilo que mais emocionou nesta leitura foi mesmo a luta desta mãe pelos seus filhos, a luta desta mulher pelo bem-estar das crianças do campo. Não deixo de ficar admirada pela crueldade de que o ser humano é capaz, pelo inferno que foi este período da História, mas também não deixo de me surpreender pelos heróis e heroínas que se encontram, pela garra que alguns dos prisioneiros tinham. E se há algo que este livro nos mostra é a força destas pessoas, o poder da união e a ínfima esperança que custava a morrer.

Este é um livro que não deve deixar de ser lido...


Sem comentários:

Enviar um comentário

Partilhar